O que fazemos

barça6
Um de oito irmãos da família Magro, que já possui alguma experiência na produção de vinho verde (por sinal uma “ganda pomada”), um vinho D.O.C., produzido na Quinta de Covelas, em Amarante e comercializado sob a marca de A Tripeira, resolveu, no início de 2014, desafiar o irmão mais novo (o caçula, possuidor de um curso de química das antigas Escolas Industriais), mas já contando com 63 primaveras, a tomar parte numa aventura de produção de cerveja artesanal, tendo em conta o “borbulhar” da actividade em Portugal.
Com as facilidades que a internet nos proporciona, não nos foi difícil entrar nos meandros da actividade e nos abalançarmos de imediato na aventura, embora pelo processo mais simples – a partir de kit – que, embora nâo produzindo cerveja de grande qualidade, ainda assim, mostrava ser de qualidade superior à das cervejas industriais, consideradas pelos puristas como refrigerantes.
Logo nasceu o “bichinho” para avançar na qualidade e produzir cerveja a partir de extracto de malte, processo mais trabalhoso, mas compensador, já que a cerveja produzida recebeu rasgos elogios de familiares e amigos (pudera, era de borla!).
O “bichinho” cresceu e levou-nos de seguida à produção de cerveja a partir de malte em grão. A qualidade melhorou substancialmente e, embora o processo fosse mais moroso e trabalhoso, “o trabalho compensou”.
E é nessa fase que nos encontramos tentando recriar o estilo de cervejas famosas, efectuando alguns ajustes subtis, de modo a criar cervejas com um “ADN” próprio.
Embora se tenha vindo já a verificar algum interresse por parte de comerciantes vários (bares, lojas gourmet, etc.), a capacidade instalada ainda não nos permite produzir quantidades suficientes para satisfazer esses “clientes” de modo contínuo e rentável que justifique a legalização do produto e sua comercialização.
Neste contexto, decidimos manter este hobby apaixonante, sem fins comerciais, partilhando a nossa “obra” com familiares e amigos, em troca de alguns tremoços e amendoins (também se aceitam presuntos), e de um são e alegre convívio.
Se, entretanto, forem “chovendo” solicitações de comerciantes que justifiquem a legalização, investe-se no aumento da capacidade instalada e na simplificação do processo produtivo, avança-se naquele sentido e socorre-se à colaboração da JF (Juventude Familiar), caso esta esteja interessada no assunto.

Um país não pode ser um país de verdade senão tiver ao menos uma cerveja e uma empresa aérea. Ajuda se tiver uma equipe de futebol, ou armas nucleares, mas o mais importante é a cerveja.”
Frank Zappa



SAB – Special Aldra Beer
©
Theme designed by mono-lab
(alterado por a.magro)
Powered by WordPress